Paço do Frevo – Recife

Recife realizou diversas ações para marcar o centenário do frevo, o ritmo musical mais associado à capital pernambucana; diversos eventos foram organizados em 2007, 2008, e prosseguem ainda nesse anos de 2009.

O prédio onde funcionava o antigo telégrafo inglês, no Bairro do Recife – ao lado do Arsenal da Marinha –, vai se transformar em outro espaço para inglês ver: o Paço do Frevo. Essa iniciativa da Prefeitura do Recife, que tem patrocínio da Fundação Roberto Marinho e apoio do Governo do Estado, pretende se firmar como centro perene de valorização do ritmo do frevo, que atrai turistas de todo o mundo para a capital pernambucana. Abaixo, fotos do prédio em seu estágio atual, e desenho do projeto no novo museu.

paco-frevo

paco-frevo-projeto

Com obras previstas para janeiro de 2010, o núcleo deve ser inaugurado no ano seguinte. O investimento é de R$ 8,7 milhões, que permitirão a restauração das fachadas e a adaptação dos espaços internos do prédio. Loja, bar, biblioteca, salas de consulta, exposições e aulas, salão de espetáculos e laboratório compõem o projeto.

O novo centro difusor do frevo e da cultura local contará com a artista Bia Lessa para assinar a museografia. Os visitantes terão acesso a ferramentas multimídia para conhecer, pesquisar, ouvir e experimentar o frevo. Além do acervo de exposições permanentes e temporárias, o espaço abrigará programação constante de espetáculos e aulas de dança, serviços de audiovisual e interatividade.

Segundo o secretário de Turismo do Recife, Samuel Oliveira, um dos pontos fortes do Paço do Frevo será a oportunidade de o turista interagir com o ritmo por fontes plurais. “Ao lado de centros como a Primeira Sinagoga das Américas, a praça do Marco Zero (foto abaixo) e outros patrimônios históricos e culturais, o Recife vai se transformando tanto para turistas quanto para a população local”, acrescenta.

marco-zero-recife

O secretário ressalta ainda que a criação do ambiente permitirá melhor divulgação dos trabalhos dos artistas locais e bons negócios para comerciantes de CDs, DVDs, livros e outros produtos relacionados ao gênero. “O projeto é bom para todos, e vai estimular a interação e a vivência das pessoas com o frevo”, destaca.


Trens de Pernambuco – Linha Diesel

Pernambuco já teve uma das mais extensas linhas férreas do Brasil (a estrada de ferro Recife – São Francisco, inaugurada em 1858, foi a segunda ferrovia a ser construída no Brasil – ver História dos trens no Brasil). Recife é uma das poucas cidades do Brasil a ter um Museu do Trem, situada na estação central do metrô (ver fotos).

Como em todo o país, as ferrovias foram perdendo importância em Pernambuco.  Uma das poucas linhas remanescentes é a que liga o Porto do Recife ao Cabo do Santo Agostinho, que durante o São João se transforma em trem do forró e durante o carnaval se transforma em trem do frevo.

Uma outra linha, menos conhecida, mas muito mais utilizada, e de grande valor histórico, é a linha que liga a estação Curado, no Recife,  à estação Cabo, em Cabo de  Santo Agostinho; ver mapa abaixo. A linha é conhecida como Linha Diesel, pois as duas locomotivas, ambas com 53 anos de idade, que fazem o percurso são movidas a diesel.

metro-recife

Essa linha faz integração com as duas linhas de metrô do Recife. O Curado é um dos bairros mais pobres do Recife, e o Cabo é um dos municípios mais pobres da região metropolitana do Recife. A Linha Diesel transporta 4.500 pessoas por dia.

A passagem apenas para o trem custa R$ 1,40; por R$ 1,85, pode-se fazer transferências também para o metrô e diversas linhas de ônibus que fazem parte do sistema integrado. É certamente a maneira mais econômica para diversos moradores da periferia chegarem a seus compromissos no Recife.

A Linha Diesel circula de 5h30 às 20h30 de segunda a sexta-feira, de 5h30 ao 12H30 aos sábados, e não circula aos domingos. Em dias de semana, quando não panes, são 13 viagens diárias. A linha tem pouco mais de 31 km de extensão, sendo 7 km em linha dupla e 24 km em linha simples.

Abaixo, foto de um dos trens da Linha Diesel (ver mais fotos aqui).

trem-diesel-recife

A Linha Diesel está com os dias contados. A CBTU, que gerencia a linha, pretende substituí-la por uma linha VLT (Veículos Leves sobre Trilhos), mais leve, moderna e rápida.


Festival Gastronômico de Pernambuco – 2009

Recife é o maior polo gastronômico do Nordeste; Recife tem mais e melhores opções que Salvador e Fortaleza (também muito fortes em termos de restaurantes), e ganha de longe de Natal, João Pessoa e Maceió. Se a gastronomia for fator relevante para a escolha de seu destino turístico, então Recife é certamente um dos mais fortes candidatos.

Isso decorre não de promoções turísticas ou ações governamentais; recifenses são acostumados, há décadas, a frequentar bons restaurantes e a exigir alta qualidade de pratos e de serviços; essa demanda faz surgir frequentemente restaurantes de alto padrão, que lutam para conquistar os clientes locais – aos turistas, cabe aproveitar esse panorama.

O Festival Gastronômico de Pernambuco é um evento que procura enriquecer a já riquíssima culinária local com idéias e experimentos de fora. Chefs renomados de outros restaurantes do Brasil são convidados para pilotar a cozinha dos melhores restaurantes do Estado. O resultado é previsível: pratos deliciosos.

Abaixo, a relação dos restaurantes de Pernambuco (incluindo Recife, Olinda, Porto de Galinhas, outras cidades do interior e também Fernando de Noronha) que participam do festival, bem como dos respectivos chefs convidados:

Primeira fase (15 a 17 de outubro):
1. Restaurante Acqua (Hotel Dorisol) Av. Bernardo Vieira de Melo, 1624, Piedade (81) 2122.2700; Fabiano Marcolini,Vila Marcolini (PR)
2. Anjo Solto Av. Herculano Bandeira, 513, lj 14-A, Galeria Joana d’Arc – Pina (81) 3325.0862; Paulo Pinho, Alvorada (RJ)
3.Château Brillant Rua do Sol, 97, ao lado da Pousada São Francisco, Olinda (81) 3439.3675; Lourdes Ernandez, Chef Consultora (SP)
4. Chiwake Rua da Hora, 820, Espinheiro (81) 3221.1606; Tadeu Lubambo, Carmano (RN) e Beijupirá (Porto de Galinhas)
5. Da Noi Av. Domingos Ferreira, 2377, Boa Viagem (81) 3326.4495; Zoroastro Passos, Resturante Feliz (MG)
6. Dom Ferreira Av. Domingos Ferreira, 4140, Boa Viagem (81) 3463.4141; Fernando Couto, Confraria do Sabor (SP)
7.Due Av.Manoel Borba, 350, Praça do Jacaré, Olinda (81) 3429.2956; Itamar Sinigaglia, La Cantina (RS)
8. É Rua Atlântico, 147, Boa Viagem, Recife – PE (81) 3325.9323; Adelaide Engler, Chef Consultora (MG)
9.Jalan Jalan Rua Desembargador Paes, 4.510, Boa Viagem (81) 3325.2178; Elismar Anselmo, La Tavola (SE)
10.Just Madá Avenida Conselheiro Aguiar, 1360, loja 31, Galeria Centro Sul, Boa Viagem (81) 3467.4618; Rodrigo Medeiros, Chef Consultor (RS)
11.La Comedie Rua Amaro Bezerra, 466, Aliança Francesa, Derby (81) 3222.0245; Ana Bueno, Banana da Terra (RJ)
12. Maria Bonita Av. São Francisco, 276, Areia Branca, Petrolina (87) 3864.0422; André Falcão, Chef Consultor (PE)
13.Mingus Av. Atlântico, 102, Boa Viagem (81) 3465.4000; Samuele Oliva, Terraço Itália (SP)
14.Nez Praça de Casa Forte, 314, Casa Forte (81) 3441.7873; Carlos Ribeiro, Na Cozinha (SP)
15. Papa Capim Av. Rui Barbosa, 1397, Graças Recife – PE (81) 3427.0010; Heiko Grabolle, Chef Consultor (SC)
16. Raval Bistrot Rua do Cupim, 166, Graças, Recife (81) 3222.4677; Liliane Pereira Vorah, Beach Hotel (CE)
17. Senac Av. Visconde de Suassuana (81) 3413.6666; Jorge Bandeira, Le Corbu (AL)
18. Sushi Yoshi Rua Padre Luiz Marques Teixeira, 155, Boa Viagem – Recife – PE (81) 3462.2748; Talitha Barros, Chef Consultora (SP)
19.Varanda Vila do Trinta, Fernando de Noronha (PE). (81) 3619.1546; Flávia Quaresma, Carême (RJ)

Segunda etapa (21 a 23 de outubro):
1.Beijupirá Rua Beijupirá, s/n°, Porto de Galinhas, Ipojuca (81) 3552.2354; Chef Convidado: Bella Masano, Amadeus (SP)
2.Kojima Rua Ondina, 141, Pina, Recife (81) 3464.6426; Roberto Bento, Bistrô D’Acampora (SC)
3. Maison Bonfim Rua do Bomfim, 115, Carmo, Olinda (81) 3429.1674; Pedro Rodrigues, Bartrô (RJ)
4.Oficina do Sabor Rua do Amparo, 335, Olinda (81) 3429.3331; Nelsa Trombino, Xapuri (MG)
5.Ponte Nova Rua do Cumpim, 172, Aflitos, Recife. (81) 3327.7226; André Generoso, Divina Gula (AL)
6. Quina do Futuro Rua Xavier Marques, 134, Aflitos, Recife (81) 3241.9589; Celso Freire, Boulevard (PR)
7. Wiella Bistrô Av. Domingos Ferreira, 1274, Ljs. 14 a 16, Boa Viagem, Recife – PE (81) 3463.3108; William Chen Yen, Babel (DF)
8. Pousada Zé Maria Rua Nice Cordeiro, 01, Floresta Nova, Fernando de Noronha (81) 3619.1258 ; Mônica Rangel, Gosto com Gosto (RJ)

O Festival por si só vale uma visita a Recife em outubro;  e dependendo de como as coisas se desenrolem, talvez seja possível em 2010 combinar a visita a Recife com uma passada no Festival Gastronômico de Pipa (Pipa é outro recanto de apreciadores da boa culinária).

Ver mais informações sobre restaurantes em Recife.


Esportes radicais em Gravatá

Gravatá, situada a 85 km do Recife, demarca a separação entre a Zona da Mata e o Agreste pernambucano; localizada a uma altitude de quase 500 m, tem um clima ameno que agrada àqueles que querem uma pausa do calor da capital – diversos condomínios e uma boa infraestrutura de serviços foram criados para atender a esses visitantes.

Um lado menos conhecido de Gravatá é que a  cidade também é destino para quem quer liberar a adrenalina e se aventurar num esporte radical, o rapel. O rapel é uma variedade do alpinismo, praticado verticalmente e com cordas, possibilitando a descida de paredões, por exemplo.

O lugar é a Ponte do Cascavel, com 48 metros de altura (foto: Prefeitura de Gravatá). A ponte foi construída para sustentar uma antiga via ferroviária, construída no século 19, para ligar Recife ao sertão.

ponte-do-cascavel

Para se chegar à ponte, percorre-se primeiro um trecho de carro, por aproximadamente 1 km,  em estrada de barro e bastante acidentada, que requer cuidado na direção. A partir de um certo ponto, é necessário caminhar a pé, sobre os trilhos da antiga ferrovia.

O rapel executado no pontilhão é chamado de negativo, porque é feito ao ar livre, sem apoio para os pés. Somente no início da descida os pés podem ser apoiados na estreita estrutura de concreto da ponte; depois, toda a descida é realizada sem ter aonde se apoiar, dando a sensação de queda livre. Apesar de ter a oportunidade de se sentir suspenso e de poder admirar a paisagem de um ângulo e espaço diferentes, o grande barato do rapel está mesmo na superação, no fato de estar fazendo aquilo.

Para iniciante, o momento mais difícil é o que os instrutores de rapel chamam de “abordagem”; na ponte, a abordagem consiste em sentar na beirada da ponte e, em seguida, colocar as duas pernas para fora. A partir daí, a descida é mais tranquila; utiliza-se uma cadeirinha, que pode gerar certo desconforto mas aumenta a segurança. No meio da descida, o instrutor deixa o aventureiro sozinho e o faz descer com mais velocidade.

Para que tudo saia bem, é indispensável ser orientado e acompanhado por um bom instrutor. O carioca Anilson Ribeiro, do Grupo de Atividades Verticais e Ecoturismo, o Grave Rapel, de Gravatá, pratica esse esporte há dezesseis anos. Antes de autorizar o novato a fazer o rapel, Anilson explica a origem do esporte, as normas de segurança e ensina o passo-a-passo, contribuindo para o encorajamento de quem ficar com dúvida de fazer.

O esporte é contraindicado para quem tem histórico de saúde com epilepsia, é hipertenso ou tem problemas cardíacos. Num grupo de dez pessoas (quantidade mínima), cada uma paga R$ 25, por quantas vezes quiser descer.


Rota da Crença e da Arte – Pernambuco

O Parque Nacional do Catimbau, embora pouco conhecido, é o segundo maior sítio arqueológico do Brasil; com aproximadamente 62 mil hectares de extensão, o parque está localizado nos municípios de Ibimirim, Tupanatinga e Buíque.

Dentro do Parque, fica o Vale do Catimbau. Em pleno Agreste pernambucano, a ação do vento esculpiu, ao longo dos séculos, gigantescas esculturas naturais. Uma delas ganhou o nome de Pedra da Igrejinha (foto abaixo), por causa de uma fenda em forma de arco semelhante à porta de um templo cristão; escalando-se um mirante ao lado da igrejinha, pode-se avistar a primeira cidade do Sertão, Arcoverde.

igrejinha

Buíque, a 285 quilômetros do Recife, é um dos municípios que compõem a Rota da Crença e da Arte, uma das rotas do programa Pernambuco Conhece Pernambuco, criado pela Secretaria de Turismo do Estado, e que tem por objetivo “levar os pernambucanos a viajar pela própria terra, explorando toda a diversidade de climas, paisagens e culturas que existem no Estado”. Essa rota engloba ainda Belo Jardim, Pesqueira, Poção, Arcoverde, Garanhuns, Bom Conselho e Saloá.

No roteiro, pode-se encontrar artesãos como José Bezerra, que mora dentro do Parque do Catimbau. Pelas suas mãos, animais silvestres tomam a forma de esculturas compostas por junção de galhos de árvore e expostas no chão de terra batida; essa verdadeira galeria a céu aberto fica em frente à casa de taipa onde o escultor reside. Sua obra é exposta em galerias no Recife, São Paulo e Rio de Janeiro, e só pode ser adquirida por encomenda; mas quem quiser visitar o local, será bem-vindo.

Distante 19 quilômetros de Buíque, o Vale do Catimbau é ideal para quem gosta de fazer trilhas; recomenda-se, entretanto, a orientação de um guia local (R$ 50 por dia). São nove opções de passeios, com duração entre 30 minutos e três horas; alguns dos passeios podem ser feitos de carro.

A próxima parada da Rota é Bom Conselho. Lá vive outro talentoso artesão, frei Dimas José Marcelo, fundador da Associação de Artistas em Pedra de Bom Conselho, que se dedica à criação de vitrais, esculturas de pedra, mosaicos e pirografia – e cujos trabalhos também já são exibidos em várias galerias Brasil afora.

A cidade é conhecida pelas igrejas, como o Convento São Fidélis de Sigmaringa e a Igreja Matriz da Sagrada Família; esta última, construída em 1882, chama atenção pela arquitetura em estilo neobarroco e pelos detalhes em ouro nos altares. Além desses, outros templos católicos, como a Ermida de Santa Terezinha, considerada a mais bela do Nordeste, por suas linhas neoclássicas, são um convite ao turismo religioso.

A sugestão de hospedagem é o Hotel-Fazenda Raízes, recém-inaugurado; telefones (87) 3771-1008 e 9925-8245 . O pacote de fim de semana para  casal, com direito a café da manhã, sai por R$ 180; o hotel conta com piscina, pesque e pague e passeio a cavalo.

pocaoOs adeptos do turismo religioso certamente seguirão a Rota da Crença e Arte para visitar o Centro de Instrução Bíblico Visual Cruzeiro, no município de Poção. Concebido em 1961 pelo alemão frei Henrique Bröker, o cruzeiro fica na região mais alta da cidade, a cerca de mil metros de altitude. No caminho até o topo, o visitante se depara com cenários e inscrições bíblicas. Há ainda capela, onde são celebradas missas para a comunidade. A entrada do cruzeiro custa R$ 2.

Poção é também conhecida pela da produção da renda, atividade que absorve 90% da população ativa. Mas nem só de crença e arte vive o município. Também há belezas naturais, como a Cachoeira do Inverno. A queda-d’água fica numa reserva ecológica onde é possível encontrar também pinturas rupestres. A região é conhecida por abrigar a nascente do Rio Capibaribe.

Para se hospedar, a dica é o Hotel Fazenda Poço Encantado, a três quilômetros da cidade. Piscina, salão de jogos, horta, passeios a cavalo e de charrete estão entre os atrativos. A diária com pensão completa para duas pessoas custa R$ 170.


Restaurantes de Pernambuco terão cardápio em braille

A Secretaria de Estado de Saúde abriu ontem o Segundo Fórum da Pessoa com Deficiência, no Centro de Convenções; o evento se estende até hoje. O objetivo do fórum, que conta com a participação de mais 250 portadores de deficiências visual, motora, auditiva e intelectual é discutir uma política estadual que garanta o respeito aos direitos das pessoas com deficiência.

alfabeto-brailleAproveitando o ensejo, foi anunciado que, a partir de dezembro desse ano, 240 restaurantes de Pernambuco vão disponibilizar versões de seus cardápios em braile. Para viabilizar esse projeto, foi assinado ontem um convênio entre a Secretaria Estadual de Turismo, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e a Associação Pernambucana de Cegos (Apec).

Essa é mais uma iniciativa do Programa Turismo Acessível – Pernambuco sem Fronteiras. O projeto, pioneiro no Brasil, tem o objetivo de adequar os destinos turísticos do Estado para receber visitantes e consumidores locais portadores de alguma deficiência física.

Para o presidente da Apec, Antônio Muniz, deficiente visual, o cardápio em braille é uma maneira de reconhecer e respeitar o cego, como consumidor e, sobretudo, com cidadão. “Agora, vamos ter acesso ao cardápio como qualquer outro consumidor. Eu não vou precisar mais pedir a ninguém para ler o cardápio. Isso me torna mais independente,” disse.

Os cardápios custarão R$ 6 mil e serão elaborados pela Apec, com financiamento da Secretaria de Turismo; estima-se que os cardápios estejam prontos em 45 dias.


Recife Mais: Planejamento Turístico

Quem viaja frequentemente pelas capitais do Nordeste percebe que Recife é a cidade em que o fluxo turístico cresceu mais rapidamente nos anos recentes (São LuísSalvador e Natal enfrentam pequena estagnação; João Pessoa e Maceió também estão crescendo rapidamente, mas as bases de comparação eram menores; Fortaleza cresce a ritmo mais lento).

E pode-se dizer que dois dos principais fatores desse crescimento são o planejamento e a divulgação turística do Recife; a cidade sempre foi de uma riqueza cultural ímpar, mas faltava fazer que essas informações chegassem aos turistas.

Em 2006, da união de Governos e entes do setor turístico (Convention Center, Associação de Hotéis, etc) surgiu o Projeto Turístico do Recife, com o objetivo de trazer a cidade de volta para o centro do turismo nacional.

Em 2007, uma campanha foi pensada para tornar 2008  o Ano do Turismo no Recife; folhetos com a programação diária de eventos turísticos e culturais foram impressos e distribuídos em diversos pontos da cidade, como hoteis, agências de turismo e postos de informações turísticas. Note-se que muitos desses eventos já existiam há tempos, ou foram criados facilmente a partir da riqueza cultural do Recife; o principal mérito da campanha foi dar divulgação aos eventos.

Os resultados foram excelentes. No ano passado, Recife teve a maior taxa de ocupação hoteleira do Nordeste; estima-se que os turistas tenham deixado R$ 2 bilhões no Recife; a arrecadação de ISS dos hoteis cresceu impressionantes 94%.

Para dar continuidade a esse plano exitoso, a Prefeitura anunciou recentemente o Recife Mais, “Plano de Aceleração da Competitividade Turística para o quinquênio 2009/2013, com orçamento previsto de R$ 480 milhões. Entre os principais pontos que norteiam suas linhas de ação estão: competitividade, desempenho e posicionamento da Cidade como destino turístico de qualidade.”

Com iniciativas como essa, é de se esperar que o fluxo turístico do Recife continue crescendo. Abaixo, foto da Praia de Boa Viagem.

boa-viagem-praia-recife


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.