Fiat confirma fábrica em Goiana, litoral norte de Pernambuco

Já há alguns meses, a Fiat havia anunciado que instalaria uma nova fábrica em Pernambuco; à época, imaginava-se que essa fábrica ficaria no Complexo de Suape, a fim de aproveitar as vantagens logísticas da região, como o Porto e as estradas de acesso.

Hoje, entretanto, foi anunciado que a nova fábrica da Fiat será construída em Goiana, cidade da Zona da Mata Norte de Pernambuco, a aproximadamente 10 km da divisa com a Paraíba.

Goiana é uma cidade histórica. No período colonial, foi um dos mais importantes centros produtores de açúcar; o rio que corta a cidade levava até o mar, de onde boa parte da produção era escoada. Goiana preserva diversos traços da colonização, em particular as igrejas centenárias.

A cidade entrou em declínio juntamente com a produção açucareira; em décadas recentes quando a cana e o álcool voltaram a ganhar destaque, a cidade ensaiou novo crescimento.

Há alguns anos, a economia da cidade já ensaiava ganhar novo impulso, ao ser escolhida para ser sede da Hemobrás e de várias outras empresas do setores industrial e de saúde; entretanto, até hoje esse projeto não saiu do papel.

A chegada da Fiat certamente vai mudar o panorama de Goiana; os aluguéis já subiram, as pessoas já se preparam para novos empregos, o Prefeito já diz que a cidade será a segunda maior economia do Estado.

Como Goiana dista 80 km de Recife e apenas 40 km de João Pessoa, a capital paraibana também deve se beneficiar; fala-se que várias das indústrias que produzirão peças para a Fiat serão instaladas na Paraíba. E com a finalização da BR-101, mesmo Natal ficará a pouca distância da nova fábrica.

E é claro que também as praias da Mata Norte deverão ganhar mais prestígio. Hoje, apenas o litoral sul de Pernambuco tem destaque fora do Estado;  muitos pernambucanos, entretanto, afirmam que as praias do Norte, como Carne de Vaca, Catuama e Ponta de Pedras, nada ficam a dever em beleza às badaladas Porto de Galinhas e Tamandaré.

Será mais um motivo para se visitar Pernambuco.

Anúncios

Cidades de Pernambuco: Quipapá

Quipapá é município da Zona da Mata Sul de Pernambuco, com 24 mil habitantes e distante 188 km da capital Recife. A cidade se destaca pelo artesanato, bordados e cestarias, além do clima bucólico.

A aura de Quipapá está ligada ao sopro de resistência negra no Brasil escravocrata e colonial. A área onde o município está localizada fazia parte do território do Quilombo dos Palmares, liderado por Zumbi.

Há divergências quanto à origem do nome. Alguns historiadores defendem que a origem é africana, uma corruptela de quipacá, que significa refúgio de fugitivos. Outros afirmam que a origem é tupi-guarani e tem referência a uma planta comum na região, o quipá.

Divergências à parte, Quipapá é uma das cidades pernambucanas que congrega o sincretismos étnico, com influência africana, indígena e portuguesa (nesse sentido, o sincretismo da cidade é mais diversificado do que o da Bahia, que reuniu principalmente elementos negros e portugueses).

Quipapá preserva relíquias do ciclo açucareiro, como o Engenho Laje Bonita, onde ainda se produz rapadura de forma artesanal; o processo utiliza uma roda d’água, aberta à visitação de turistas.

De relevo montanhoso, Quipapá é cortada pelos rios Pirangi, Areias e Quipapá, aos quais afluem diversos riachos perenes, formando uma rica bacia hidrográfica.

O artesanato produzido no município é outro exemplo da riqueza da cultura local. Lá, sisal, coco, palha e cipó, encontrados nas árvores e matas da região, são utilizados para produção de bordados e cestarias.

E a cidade tem também sua bebida típica, o Chá de Veado: uma mistura de cerveja, vinho, suco de limão e açúcar.


Ônibus do Recife para o interior de Pernambuco

Diversas cidades do interior de Pernambuco, seja no Agreste ou no Sertão, atraem turistas em eventos diversos como o Carnaval, Paixão de Cristo ou São João; dentre essas cidades, pode-se mencionar Caruaru, Petrolina, Salgueiro, Limoeiro, Carpina, e até mesmo Campina Grande, no agreste paraibano.

As tabelas abaixo informam: empresas de ônibus que fazem conexão, meios de contato, preços aproximados (em valores de junho de 2011) e tempo de viagem.

Sites das empresas de ônibus:

Progresso, Borborema, Expresso 1002.

Vale lembrar que Petrolina, a cidade mais distante do Recife, dispõe de um aeroporto com voos comerciais regulares pela TAM.

 


Entrevista: Governador Eduardo Campos fala sobre Economia de Pernambuco

A entrevista abaixo foi publicada em Alma Pernambucana, um suplemento que circulou junto com a revista Veja Edição 2214.

Pernambuco vem crescendo em todos os segmentos e isso vem sendo reconhecido pelo restante do País. Dada a situação atual, quais são os maiores desafios para os próximos anos?

Eduardo Campos: De fato, Pernambuco vive um momento muito especial. No início do meu primeiro Governo, o desafio passava pela responsabilidade fiscal do equilíbrio de contas. Ao término do primeiro mandato, o Estado tinha aumentado em quatro vezes a sua capacidade de investimentos.

Acredito que agora é chegada a hora da consolidação do “Estado do Fazer” e das políticas públicas que implementamos. Avançamos muito e saímos do patamar de escolher prioridades para entrar num outro muito mais amplo. A segunda gestão não terá apenas um único foco ou desafio. Vamos reforçar todas as áreas estratégicas do serviço público para que as pessoas, sobretudo aquelas que mais precisam, possam efetivamente sentir essa mudança de qualidade e de padrão nas suas vidas.

Anunciamos algumas iniciativas no ano passado, como a construção das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Especializadas que vão se somar aos três novos hospitais e  às quatorze UPAs que vamos entregar. Na educação, vamos construir 47 Escolas Técnicas Estaduais, formando um total de sessenta em todo o estado e mais trezentas escolas de referência funcionado em tempo integral. Na segurança, por sua vez, vamos sair de uma ponta para outra e chegar ao final de 2014 com o Recife entre as capitais mais seguras para se morar no Brasil.

As atividades econômicas em Pernambuco são as mais diversificadas. Existe Suape, o Estaleiro Atlântico Sul e polos como o têxtil, o fármaco-químico e o do vinho, por exemplo. Como o senhor espera que Pernambuco seja conhecido pelo restante do país no futuro?

EC: Costumo dizer que o Brasil olha hoje para Pernambuco e para o Nordeste de forma distinta àquela visão estereotipada da seca, da fome e da pobreza extrema que um dia existiu. Nós que sempre fomos encarados como parte do problema do país, passamos a ser vistos como parte da solução.

Hoje, o crescimento de Pernambuco é comparável ao da China. Já estamos assistindo a uma profunda transformação da nossa matriz econômica com forte avanço na reindustrialização do Estado que vai permitir dobrar o nosso PIB em 10 anos. Com isso, a classe empresarial vê Pernambuco como um destino seguro para seus investimentos que, por sua vez, geram empregos e desenvolvimento para a nossa gente.

Pernambuco está pronto para receber trabalhadores de todas as partes do Brasil, tendo em vista o crescimento da oferta de empregos no Estado?

EC: Nós, pernambucanos, somos conhecidos pela receptividade para com aqueles que adotam o nosso Estado como a sua segunda casa. Eu, particularmente, me sinto feliz e satisfeito em saber que Pernambuco começa a ser visto por brasileiros de todas as partes como um bom lugar para se viver. É um sinal de que estamos no caminho certo.

No entanto, o nosso compromisso é conseguir zerar a taxa de desocupação entre os pernambucanos. É fazer com que as vagas geradas pelos novos empreendimentos em curso no Estado sejam destinadas aos nossos conterrâneos. E posso dizer que avançamos bastante nessa batalha. HOje temos a maior geração de emprego registrada na série histórica do Estado e mais de 90% dessas vagas são ocupadas pela nossa gente.

Com todos os investimentos chegando a Pernambuco, do ponto de vista prático, em que vai melhorar a vida do povo pernambucano?

EC: O desenvolvimento vem acompanhado de uma série de fatores. O crescimento econômico só encontra sentido quando ele é inclusivo. É dever nosso fazer com que esse crescimento reflita no bem-estar e na qualidade de vida das pessoas.

Eu acredito que isso se dá de várias formas: na participação da vida política e econômica do lugar onde se vive, no acesso à água, à energia e aos demais serviços básicos, sobretudo na saúde e educação. Por isso, estamos estruturando o Estado para dar a devida assistência na formação do cidadão pernambucano.

Porque primeiro a gente ajuda a formar, mostra e indica o caminho evitando, inclusive, que lá na frente esse indivíduo sofra problema de envolvimento com drogas e com a criminalidade em geral. Esse é um trabalho que não tem começo, meio e fim. Ele é contínuo.

O pernambucano tem motivos para sentir orgulho de seu Estado?

Educardo Campos: Sim, sem dúvida! Os pernambucanos hoje têm muita esperança no futuro do Estado. Porque hoje o Estado está mais equilibrado. Fala-se muito em desigualdades entre as regiões brasileiras, mas dentro do próprio Estado as cidades do interior eram esquecidas.

Provamos que é possível levar indústrias, investimentos e desenvolvimento para dentro e fora da nossa Região Metropolitana. Concentramos o nosso tempo e energia para retirar Pernambuco das listas e rankings negativos onde costumava figurar. Tiramos o estado do pódio do desemprego, da violência e dos piores indicadores sociais, inclusive na educação e na saúde.


Hoteis do Recife lotados para a Semana Santa

Recife está voltando a ser um dos principais destinos turísticos do Brasil. Estatísticas recentes mostram que o aeroporto do Recife é o segundo mais movimentado do Nordeste, tanto em tráfego doméstico como internacional.

Os turistas que vieram passar o carnaval desse ano na cidade puderam sentir uma consequência desse ressurgimento do turismo na cidade: a falta de hoteis; com semanas de antecedência, os hoteis e pousadas do Recife foram totalmente reservados para o carnaval. A cadeia de hoteis mencionada na reportagem é a Pontestur, que opera alguns dos melhores hoteis da cidade, o Mar Hotel e o Atlante Plaza.

Aproxima-se agora a Semana Santa; esse ano, o dia de Tiradentes cairá na quinta-feira anterior à Sexta-Feira Santa, o que significa que teremos um feriado prolongado em plena Semana Santa.

E a consequência é inevitável: os hoteis já estão lotados.

E não deixa de ser surpreendente essa declaração do Presidente da ABIH-PE: “a Semana Santa chega a ser mais importante que outros feriados importantes para Pernambuco; nós temos um negócio interessante, porque a data as vezes é maior até do que o Carnaval, em termos de representatividade, porque ela dura mais tempo e ela enche mais tempo os nossos hotéis”.

Ou seja, essa lotação não ocorre apenas esse ano, mas é esperada para todos os anos.

Em todo o Pernambuco, a tradição católica é muito forte, e diversos eventos são celebrados. O mais conhecido de todos é a encenação da Paixão de Cristo em Nova Jerusalém, no interior do Estado; com infraestrutura gigante e participação de atores globais, essa peça ao ar livre atrai cada vez mais pessoas.

Outro evento mais modesto mas que ganha a cada ano mais tradição e popularidade é a encenação do Recife, que costumava ocorrer no estádio do Arruda e em anos recentes foi transferida para a praça do Marco Zero; embora não tão grandiosa, essa peça tem a vantagem de ser gratuita.

De qualquer forma, fica o recado: para visitar Recife, é recomendável cada vez mais reservar acomodação com antecedência.


Carnaval de Recife e Pernambuco perdendo originalidade ?

Dois atributos do Carnaval de Recife e Pernambuco sempre foram motivo de orgulho: primeiro, que ele é democrático, gratuito para todo mundo (e isso continua assim); segundo, que ele era enraizado nas tradições locais, valorizando artistas da terra (o que acabava estimulando o surgimento de novos artistas, que sabia que poderiam ocupar os palcos de carnavais vindouros).

Isso estaria mudando? Algumas pessoas acham que sim.

Esse jornalista afirma que o Carnaval Multicultural é conversa para boi dormir.

Essa embromação chamada de “Carnaval Multicultural”, criada pela prefeitura do Recife, desde a gestão capitaneada pelo ex-prefeito João Paulo, e seguida pela gestão do prefeito João da Costa, não passa de um cínico artifício para “escantear” os artistas pernambucanos, dando oportunidade para que artistas de outras regiões, que nessa época ficam sem mercado de trabalho em seus estados de origem, possam ser contratados.

Enquanto isso a pergunta que não quer calar é: cadê Claudionor Germano, Getúlio Cavalcanti, Coral do Bloco da Saudade e os maestros Spok e Frevo, entre outros baluartes dos tradicionais ritmos da folia pernambucana? Foto: web. Júlio Ferreira. Recife/Pe.?

O carnaval de Olinda está sendo invadido pelo pagode e axé.

Garota Safada, Aviões do Forró, Bois Garantido e Caprichoso, Pixote, Molejo, Chicabana, animam o bloco, em onze trios elétricos, além das participações de Elba Ramalho e Neguinho da Beija Flor.

Mas isso tudo é apoiado pelo Governo, certo? Então é coisa boa, certo?

Esse outro jornalista informa que há muita coisa errada na Secretaria de Turismo de Recife e Pernambuco. Uso político da Secretaria, verba pública para interesses privados, e contratação de eventos (com participação de grupos de fora de Pernambuco) para maquiar a contabilidade.

Ninguém parece muito preocupado, ainda. O turismo está batendo recordes, os hoteis estão lotados, o carnaval ainda é gratuito. Mas, até vinte anos atrás, não havia abadás em Salvador (e hoje custa muito caro ter um). Que Recife e Olinda não chegue a esse ponto.


Rei e rainha da Suécia em Recife e Porto de Galinhas

A imprensa brasileira vem dando algum destaque à visita que o Rei e a Rainha da Suécia farão ao Brasil na próxima semana; há rumores de que a visita estaria relacionada à licitação em curso para compras de caças pela Força Aérea Brasileira (a empresa sueca Saab Gripen é uma das concorrentes).

Mas pouco que se tem divulgado que a viagem real começará por Pernambuco. O casal real tem uma relação de empatia com os pernambucanos; em 2001, data da última visita ao Brasil, a rainha Sílvia esteve no Estado, e fez uma visita de cunho social ao município de Nazaré da Mata.

Dessa feita, o casal chegará ao Recife no domingo, dia 21 de março, às 21h30min; cabe notar que o Rei e a Rainha viajarão em voo comercial, da empresa portuguesa TAP.

O casal seguirá de carro para Porto de Galinhas, onde se hospedará no Nannai, um dos melhores resorts de Porto. Na segunda-feira, o casal sobrevoará o Complexo de Suape, e a seguir cumprirão agendas separadas (o rei visitará o Porto Digital e a rainha visitará obras financiadas pela ONG Childhood Brasil). Na terça de madrugada, embarcam para Brasília, para cumprir a agenda oficial.

Isso mostra que, tanto pelas belezas naturais, quanto pelo potencial econômico, Pernambuco está atraindo a atenção de reis e governantes.