Fiat confirma fábrica em Goiana, litoral norte de Pernambuco

Já há alguns meses, a Fiat havia anunciado que instalaria uma nova fábrica em Pernambuco; à época, imaginava-se que essa fábrica ficaria no Complexo de Suape, a fim de aproveitar as vantagens logísticas da região, como o Porto e as estradas de acesso.

Hoje, entretanto, foi anunciado que a nova fábrica da Fiat será construída em Goiana, cidade da Zona da Mata Norte de Pernambuco, a aproximadamente 10 km da divisa com a Paraíba.

Goiana é uma cidade histórica. No período colonial, foi um dos mais importantes centros produtores de açúcar; o rio que corta a cidade levava até o mar, de onde boa parte da produção era escoada. Goiana preserva diversos traços da colonização, em particular as igrejas centenárias.

A cidade entrou em declínio juntamente com a produção açucareira; em décadas recentes quando a cana e o álcool voltaram a ganhar destaque, a cidade ensaiou novo crescimento.

Há alguns anos, a economia da cidade já ensaiava ganhar novo impulso, ao ser escolhida para ser sede da Hemobrás e de várias outras empresas do setores industrial e de saúde; entretanto, até hoje esse projeto não saiu do papel.

A chegada da Fiat certamente vai mudar o panorama de Goiana; os aluguéis já subiram, as pessoas já se preparam para novos empregos, o Prefeito já diz que a cidade será a segunda maior economia do Estado.

Como Goiana dista 80 km de Recife e apenas 40 km de João Pessoa, a capital paraibana também deve se beneficiar; fala-se que várias das indústrias que produzirão peças para a Fiat serão instaladas na Paraíba. E com a finalização da BR-101, mesmo Natal ficará a pouca distância da nova fábrica.

E é claro que também as praias da Mata Norte deverão ganhar mais prestígio. Hoje, apenas o litoral sul de Pernambuco tem destaque fora do Estado;  muitos pernambucanos, entretanto, afirmam que as praias do Norte, como Carne de Vaca, Catuama e Ponta de Pedras, nada ficam a dever em beleza às badaladas Porto de Galinhas e Tamandaré.

Será mais um motivo para se visitar Pernambuco.

Anúncios

Sport Recife apresenta o novo estádio da Ilha do Retiro

O Sport Club do Recife apresentou ontem as primeiras imagens do que virá a ser o novo Complexo da Ilha do Retiro.

A foto abaixo mostra uma ilustração artística do Complexo.

O atual estádio da Ilha do Leite será reformado e transformado em uma Arena com capacidade para 45 mil pessoas, seguindo todos os padrões de qualidade exigidos pela FIFA.

Além do estádio, o Complexo será composto de um Centro de Convenções, torres comerciais e um hotel.

O custo anunciado é de R$ 400 milhões, a ser bancado pelo consórcio Plurisports, encabeçado pela empresa de engenharia Engevix. O consórcio poderá, durante 30 anos, explorar direitos do Complexo (aluguel de espaço, receitas de serviços, etc); o Sport, entretanto, continuará coletando 100% das rendas de bilheteria e camarotes.

O Complexo tem localização privilegiada no Recife: às margens do rio Capibaribe, próximo à praia de Boa Viagem e ao centro da cidade, mais próximo do aeroporto do que o atual Centro de Convenções. Se concretizado, será um excelente negócio para o Sport Recife (a torcida do Sport apóia o projeto); em 2009, o Náutico também apresentou um novo estádio, mas o projeto não avançou.

Em paralelo a esses novos projetos, o Governo de Pernambuco dá andamento acelerado ao Cidade da Copa, que será o palco dos jogos da Copa de 2014 no Recife.


Investimentos em Itamaracá e litoral norte de Pernambuco

Fatores como o crescimento do turismo pernambucano, a Copa do Mundo, e a rápida retomada da economia estadual começam a ter influência sobre uma região que passou quase 20 anos esquecida por investidores privados e pelo próprio setor público. Depois de seu auge como veraneio obrigatório para os pernambucanos, o Litoral Norte foi largado à própria sorte; agora, projetos imobiliários e turísticos começam a ressurgir.

itamaracaUm dos obstáculos para o desenvolvimento do Litoral Norte, diz o presidente da Associação dos Hoteleiros da Ilha de Itamaracá (Ahita), Gustavo Calheiros, é o complexo prisional. Lá, ficam a Penitenciária Professor Barreto Campelo, o Presídio Agroindustrial São João (PAI) e o Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP). As frequentes notícias de rebeliões e fugas de prisioneiros (ver aqui e aqui) acaba por afastar os visitantes.

No mês passado, iniciou-se a construção do Centro de Ressocialização Integrado (CIR) de Itaquitinga, que ficará no município homônimo da Mata Norte. O CIR, com 3.126 vagas, terá capacidade de absorver a totalidade dos detentos do Barreto Campelo e da PAI; a partir de 2010, já se inicia a transferência de presos.

O anúncio do cronograma de entrega do CIR de Itaquitinga já animou o mercado imobiliário de Itamaracá. O governador do Estado, Eduardo Campos, afirmou durante o lançamento do CIR que em 2010 será retomado o plano de leiloar um grande terreno público na ilha para a implantação de um ou até mais de um complexo hoteleiro ligado ao ecoturismo.

O leilão deveria ter seu edital publicado no final do ano passado. Seria oferecido um primeiro lote de 1.400 hectares (avaliado em R$ 53 milhões), parte de uma área maior, de aproximadamente 2.500 hectares, que o governo possui em Itamaracá. Mas, antes que a concorrência pública tivesse início, veio a crise financeira, que obrigou os investidores a reverem seus planos.

Agora, parece que uma nova conjuntura se abre, prometendo uma fase de progresso para Itamaracá e vizinhanças.


Porto de Galinhas contrata blogs para marketing

Nos próximos dias, os encantos de Porto de Galinhas devem ser o tópico de diversos dos blogs do Brasil.

Os governos de Ipojuca e Pernambuco, os hoteis de Porto, a TAM e a Luck Viagens estão financiando um tour (incluindo passagens, estada e passeios) pela praia; os blogueiros convidados, em troca, escreverão suas impressões sobre a praia.

Evidentemente, os blogueiros terão a liberdade de escrever o que bem entenderem. Entretanto, como eles são convidados com despesas pagas, não é de se esperar que alguém fale sobre tópicos como os problemas ambientais, a ocorrência de arrastões, o trânsito complicado, etc.

Noticiário sobre o evento encontra-se em portocainarede.com.br; a lista dos blogs participantes está aqui.


Reforço no policiamento das praias durante o verão

Que a beleza natural das praias pernambucanas é incomparável, todos sabem. Mas todos sabem também que problemas causados pelo homem, como brigas por embriaguez, som em volume alto, descuidos ambientais, direção imprudente, etc podem arruinar as férias mesmo em locais paradisíacos.

Pensando em coibir tais abusos, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco anunciou que implementará, a partir desse mês de setembro até o termino da alta temporada de 2010,  a Operação Sossego; essa operação já foi posta em prática algumas vezes, e na última avaliação, de janeiro desse ano, ela foi considerada um sucesso.

Dessa feita, será utilizado um efetivo de mais de 1200 policiais civis, militares e bombeiros (uma nova turma de PMs que está se formando também participará da operação), mais do que os 1100 empregados em janeiro.

A intenção é tanto aumentar a presença de policiais nas praias e ruas como reforçar o plantão nas Delegacias. A maior parte do reforço irá para Porto de Galinhas, Tamandaré, Pontas de Pedras e Itamaracá, os pontos mais visitados do litoral pernambucano.

A Polícia Civil vai deslocar 15 viaturas para as delegacias do litoral durante o período de verão. A Delegacia do Turista, que funciona no Aeroporto Internacional do Recife, também terá reforço no efetivo para investigar os casos envolvendo os visitantes brasileiros e estrangeiros. A Polícia Militar vai mobilizar 70 guarnições e 15 motocicletas no período.

As pessoas que sofrerem crimes como furto, roubo, extravio de objetos (com valor inferior a 40 salários mínimos) ou acidente de trânsito sem vítima têm a opção de registrar a ocorrência através da internet no endereço: www.sds.pe.gov.br/delegaciainterativa


Surf em Porto de Galinhas

Saindo do Recife, em direção à BR 101 Sul, demora-se aproximadamente 50 minutos de viagem em dias sem muito trânsito para chegar em Porto de Galinhas.

A primeira praia é a do Cupe com extensão de seis quilômetros, desde o Pontal na divisa com Muro Alto até chegar em Porto.  Em toda a extensão da praia do Cupe, existem boas valas sem crowd e muitas ondas tubulares, principalmente no inverno, entre abril e agosto.

Os dias de gala são os de terral que nos meses de abril e maio são constantes pela manhã. Tubos verdes e água cristalina com sol e água morna fazem a cabeça do mais exigente surfista.

Porto – O surfe em Porto de Galinhas é de reef. A “direita de Porto”, bem de frente à Vila, é a mais conhecida. Uma onda forte e tubular que quebra na maré cheia pode chegar aos dois metros de buraco nos dias mais “cascas”. A bancada é rasa, mas um canal facilita a entrada no pico que fica a uns 500 metros de remada da beira. Do outro lado, a “esquerda de Porto” é uma das ondas mais tubulares da região que quebra com a maré seca. Infelizmente, está sempre muito crowd.

Maracaípe – São cerca de quatro quilômetros de extensão de praia, onde as melhores ondas estão no meio da Baía, na área em torno do palanque fixo onde são realizados os campeonatos de surfe que deram fama à praia. O crowd é inevitável, mas é possível surfar à vontade nas valas mais afastadas.

O grande lance de “Maraca” é que segura qualquer ondulação, swell e ventos. Sempre tem umas ondinhas para uma caída, mesmo quando o mar está pequeno ou mexido nos outros picos. Por isso, é o local escolhido para os campeonatos. A infra-estrutura dos bares, restaurantes e pousadas também ajudam a manter um público fiel de surfistas na área.

As ondas de Maraca em dias bons são bem interessantes. Podem vir volumosas do outside e emendar com um tubo no inside, numa corrida de uns 150 metros e alguns longos minutos sobre a prancha. É uma onda de várias manobras, perfeita para campeonatos e treinos.

Vai surfar em Porto e vizinhanças? Anote essas dicas:
Cupe – Ondas fortes e tubulares. Melhor no inverno e nos terrais matinais de abril e maio.
Reefs – Em frente à Vila de Porto de Galinhas. Bancadas rasas de coral podem machucar. Indicada para os mais experientes. As ondas são fortes e tubulares.
Maracaípe – Boa em qualquer condição de vento e swell. Uma onda que
possibilita várias manobras.
Pontal de Maracaípe – Na divisa entre Maracaípe e Serrambi, o Pontal de Maracaípe tem algumas ondas buracos sobre um fundo de pedras.

Veja também:surf em Fernando de Noronha.


Ameaça ambiental em Porto de Galinhas

Reportagem de jornais locais informam que o excesso de turistas, bem como seu descuido ambiental, podem estar causando prejuízos irreversíveis ao habitat marinho de Porto de Galinhas.

Trechos da reportagem:

Os visitantes que chegam a Porto de Galinhas estão colocando em risco os corais que formam as piscinas naturais do local e que ficam localizados sobre os arrecifes.

O alerta é dos biólogos da Universidade Federal Rural de Pernambuco; os arrecifes são invadidos por uma multidão nos fins de semana, já que o passeio de jangada até os corais é uma das principais atrações de Porto de Galinhas. Embora pareça ser inofensivo,  o simples fato de caminhar sobre os corais já provoca a degradação do meio ambiente.

Embora poucas pessoas saibam, os corais não são plantas nem pedras: são animais que fazem parte da fauna marinha (leia mais sobre corais); os corais são seres vivos, frágeis, que levam dezenas de anos para se desenvolver.

A professora Fernanda Duarte Amaral, do departamento de biologia da UFRPE, faz o alerta: se nada for feito com urgência, não apenas os corais, mas todo o ecossistema presente nas áreas de piscinas naturais de Porto de Galinhas corre o risco de sofrer prejuízos irreversíveis.

Quando se caminha sobre os corais, frequentemente se pisa na boca na boca do animal coral que forma a colônia; com ferimentos na boca, o coral deixa de crescer e começa a definhar.

O Ibama já está considerando a hipótese de se elaborar uma legislação que limite o acesso a certos locais de Porto, com regras análogas às que já existem em Fernando de Noronha; lá, o número de visitantes simultâneos tanto ao arquipélago como a certas praias é limitado, e todos os visitantes têm que pagar uma taxa de conservação ambiental.

Veja um vídeo sobre Porto de Galinhas mostrando os riscos de degração ambiental.